Lenda japonesa: Hainu, o cão alado part. 1

Quem já ouviu falar da lenda japonesa de Hainu, o cão alado? Eu antes nunca tinha ouvido falar mas agora eu vi que é bem interessante, vc vão ficar bem impressionados com essa lenda veja:







Este cão alado é muito querido  na cidade de Chikugo, província de Fukuoka, onde foram erigidos diversos monumentos em sua homenagem. O próprio cão é supostamente enterrado debaixo de um monumento de pedra, perto da estação ferroviária chamada Hainutsuka.


Existem duas versões oficiais que conflitam a sua história, no entanto, diz-se de uma lenda no Japão sobre uma criatura alada, com corpo de cão, que atacava pessoas e devorava animais, um tipo de besta.


1ª Versão:

De acordo com a primeira versão, registrada no Chikugo Kokorogashi em 1777, o cão era uma criatura valente, que não se deixava intimidar, nem mesmo diante de um exército.
Toyotomi Hideyoshi foi um General Daimyō da era Sengoku que unificou o Japão. Quando ele embarcou em sua campanha para Kyushu em 1587 com seu exército, buscando conquistar a ilha de Chikugo, não imaginava que a maior resistência que encontraria seria a de um cão.

O cão era o valente Hainu que relutava em não se entregar, investindo bravamente contra aquele imenso exército invasor.

Os soldados tentavam, em vão, afugentá-lo. Hainu rosnava e dava saltos incríveis. Sua agilidade, valentia e resistência eram tamanhas que, mesmo sozinho, conseguiu reter um contingente de treinados guerreiros por quase um dia inteiro.

Hideyoshi fez de tudo para não matá-lo, estava estarrecido e admirado por nunca ter visto algo parecido. Aquele cão era a criatura mais valente que conhecera em toda sua vida. Infelizmente, ele teve de cumprir com sua obrigação de General e, de contra vontade, se viu obrigado a matar o bravo Hainu.

Hideyoshi ficou tão tomado de comiseração por sua morte que resolveu erigir um memorial em homenagem ao animal.


Gente eu irei postar a segunda versão da lenda no próximo post,  e eu também postarei os créditos no próximo post.

Bjs: Jeny

Nenhum comentário:

Postar um comentário